GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO

Destinado aos alunos do Colégio Estadual Humberto de Campos, para um aprofundamento na disciplina de Geografia

6

de
maio

O SUBDESENVOLVIMENTO

O SUBDESENVOLVIMENTO

ORIGENS E CARACTERÍSTICAS
Em meados dos anos 1960, o geógrafo francês Ives Lacoste publicou o livro Geografia do Subdesenvolvimento: geopolítica de uma crise, hoje um clássico, no qual discute de forma crítica o significado de subdesenvolvimento, sua origem e características principais.
Ainda não há um consenso sobre a melhor palavra para expressar a situação que Lacoste designa por subdesenvolvimento. As instituições internacionais, como a ONU, e o Banco Mundial, não usam a expressão “país subdesenvolvido”, mas “país em desenvolvimento”. Uma coisa, entretanto, é certa: essa realidade faz parte da vida da maioria da população do planeta. Bilhões de pessoas na África, na Ásia e na América Latina enfrentam em seu dia-a-dia as agruras da vida sob condições pouco favoráveis.
Estatísticas e avaliações de organismos internacionais, como o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e o Banco Mundial, demonstram que a maioria dos povos que habitam as ex-colônias tem um padrão de vida muito inferior ao considerado digno. Os novos Estados africanos e asiáticos têm, além de diversos problemas em sua estrutura social e política, economias frágeis e dependentes. Muitos desses países ainda se inserem na tradicional divisão internacional do trabalho e continuam, portanto, a ser essencialmente exportadores de matérias-primas e de alimentos a preços baixos. A industrialização, além de restrita a poucas dessas nações, em muitos casos agravou a dependência econômica, pois acentuou a necessidade de acesso a novas tecnologias e fez crescer o endividamento externo. Há profundas desigualdades sociais e regionais em cada um desses países, comparando-se os seus indicadores socioeconômicos aos dos países desenvolvidos e até mesmo aos de alguns países emergentes, localizados na periferia do capitalismo, mas com o alto grau de industrialização e de integração com os países centrais.
DIVISÃO NORTE/SUL
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/57/Third_world_countries_map_world.gif acessado em 21 de abril de 2008
Segundo o Banco Mundial, há nos países por ele designados “em desenvolvimento”, sobretudo nos da chamada África Subsaariana (região situada ao sul do deserto do Saara), um elevado percentual da população vivendo abaixo da linha de pobreza internacional.

POPULAÇÃO ABAIXO DA LINHA DE POBREZA INTERNACIONAL* (PAÍSES SELECIONADOS)

Coréia do Sul Menos que 2,0 China 47,3
Hungria 7,3 Namíbia 55,8
Brasil 23,87 Serra Leoa 74,5
Rússia 24,3 Moçambique 78,4
Nigéria 90,8
* Porcentagem da população que vive com menos de US$ 2 PPC (Paridade de Poder de Compra) /dia
FONTE: WORLD Develompent indicators 2003.
Vivenciada por aproximadamente quatro quintos da população do planeta, é denominada por alguns especialistas como subdesenvolvimento.
As desigualdades geradas em cada país, definindo classes sociais, o capitalismo provocou desigualdades entre as nações, definindo uma divisão do trabalho em escala mundial: no mundo há países pobres e ricos. De forma geral pode-se dizer que os países ricos são os desenvolvidos e os pobres, os subdesenvolvidos.
É possível que um ou outro país subdesenvolvido consiga realmente se desenvolver, mas a maioria deles dificilmente alcançará os índices de desenvolvimento humano dos países desenvolvidos.
Embora os EUA, Japão, Alemanha, Reino Unido e França sejam os mais ricos e poderosos países do planeta, Serra Leoa, Moçambique, Etiópia, Haiti e Afeganistão estejam entre os mais pobres, Brasil, China, Índia e México, entre outros, em muitos aspectos (produto interno bruto, produção industrial, recursos naturais e potencial do mercado interno) são mais ricos que alguns países classificados como desenvolvidos, e suas elites têm alto padrão de vida.
Analisar o nível de desenvolvimento de um país ou o nível de vida de uma população apenas do ponto de vista macroeconômico significa obter uma visão parcial e limitada. Para analisar a qualidade de vida de uma população, além dos indicadores econômicos tradicionais (como renda per capita e PNB), devem ser considerados os sociais (expectativa de vida, mortalidade infantil e analfabetismo, por exemplo) e os políticos (respeito aos direitos humanos, participação política da população, entre outros). É por isso que, desde 1990, o PNUD calcula e divulga o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de quase todos os países. Esse índice fornece um retrato mais preciso da qualidade de vida das populações.

GOVERNABILIDADE

Com raras exceções, os países subdesenvolvidos são governados por ditaduras ou regimes democráticos pouco consolidados, sob o comando de elites em geral indiferentes ao bem-estar social do restante da população. Por isso o Estado deixa de cumprir com muitas de suas atribuições básicas para satisfazer aos interesses da classe social ou do grupo étnico que detém o poder. Em casos extremos, uma pessoa, uma família ou grupo de famílias chega a comandar um país, como aconteceu entre 1965 e 1997 no Zaire (atual República Democrática do Congo), governado pelo ditador Mobutu Sese Seko. Essa apropriação do Estado por um setor da sociedade (clã ou etnia, por exemplo) é mais comum nos países pobres, sobretudo na África Subsaariana.
Nos países subdesenvolvidos que atingiram certo grau de industrialização, foi freqüente uma classe social se apropriar do aparelho do Estado. Nesse caso, era comum a concessão de subsídios e de generosos incentivos fiscais a diversos grupos econômicos, dos mais variados setores, que estivessem ligados ao poder.
O desvio das funções do Estado, a relação entre Estado e capital, a impunidade e o desrespeito à cidadania acabaram intensificando nos países subdesenvolvidos, outro fenômeno: a corrupção.

Arquivado em: Sem categoria I

9 Comentários »

  1. Comentário por tiago corá — 6 de maio de 2008 (19:51)

    1: Em meados dos anos 1960, o geógrafo francês Ives Lacoste publicou o livro Geografia do Subdesenvolvimento: geopolítica de uma crise, hoje um clássico, no qual discute de forma crítica o significado de subdesenvolvimento, sua origem e características principais.

  2. Comentário por RAQUEL E EDUARDO Nº 29 E 15 — 6 de maio de 2008 (20:24)

    1) ORIGENS E CARACTERÍSTICAS
    Em meados dos anos 1960, o geógrafo francês Ives Lacoste publicou o livro Geografia do Subdesenvolvimento: geopolítica de uma crise, hoje um clássico, no qual discute de forma crítica o significado de subdesenvolvimento, sua origem e características principais.
    2)Ainda não há um consenso sobre a melhor palavra para expressar a situação que Lacoste designa por subdesenvolvimento. As instituições internacionais,não usam a expressão “país subdesenvolvido”, mas “país em desenvolvimento”. Uma coisa, entretanto, é certa: essa realidade faz parte da vida da maioria da população do planeta. Bilhões de pessoas na África, na Ásia e na América Latina enfrentam em seu dia-a-dia as agruras da vida sob condições pouco favoráveis.
    3)

  3. Comentário por patricia gambim n:28 2r — 6 de maio de 2008 (20:25)

    1)O subdesenvolvimento é o produto da má utilização dos recursos naturais e humanos realizada de forma a não conduzir à expansão econômica e a impedir as mudanças sociais indispensáveis ao processo da integração dos grupos humanos subdesenvolvidos dentro de um sistema econômico integrado.
    Esta tremenda desigualde social entre os povos divide economicamente o mundo em dois mundos diferentes: o mundos dos ricos e o mundo dos pobres, o mundo dos países bem desenvolvidos e industrializados e o mundo dos países proletários e subdesenvolvidos. Este fosso econômico divide hoje a humanidade em dois grupos que se entendem com dificuldade: o grupo dos que não comem, constituido por dois terços da humanidade, e que habitam as áreas subdesenvolvidas do mundo, e o grupo dos que não dormem, que é o terço restante dos países ricos, e que não dormem, com receio da revolta dos que não comem.

    2)os países subdesenvolvidos são encontrados nessa situação porque as riquezas estão nas maõs de alguns e outros estão passando fome,em vez de ser dividida igualmente.

    3)desenvolvimento de novas tecnologias para o processo produtivo,

  4. Comentário por Anthony Guilhermi de Oliveira Nº36 2 ºS — 28 de maio de 2008 (11:47)

    1) Os países do Terceiro Mundo são subdesenvolvidos, não por razões naturais - pela força das coisas - mas por razões históricas - pela força das circunstâncias. Circunstâncias históricas desfavoráveis, principalmente o colonialismo político e econômico que manteve estas regiões à margem do processo da economia mundial em rápida evolução. Na verdade, o subdesenvolvimento não é a ausência de desenvolvimento, mas o produto de um tipo universal de desenvolvimento mal conduzido. É a concentração abusiva de riqueza - sobretudo neste período histórico dominado pelo neocolonialismo capitalista que foi o fator determinante do subdesenvolvimento de uma grande parte do mundo: as regiões dominadas sob a forma de colônias políticas diretas ou de colônias econômicas.
    Esta desigualde social que ocorre entre os povos divide economicamente o mundo em dois outros diferentes: o dos ricos e o dos pobres, o mundo dos países bem desenvolvidos e industrializados e o dos países proletários e subdesenvolvidos.

  5. Comentário por Anthony Guilhermi de Oliveira Nº36 2ºS — 28 de maio de 2008 (11:58)

    2) O único país que se tornou realmente um país em vias de desenvolvimento e se desenvolveu, foi a Coréia do Sul. Este sim se desenvolveu e passou a ser um “novo rico” dentro do contexto mundial. Já os países como o Brasil e Argentina que receberam multinacionais desde que a economia das superpotências passou a crescer sem parar no pós guerra, não são paises em desenvolvimento, mas pode se dizer tabém que o Brasil é um país desenvolvido. O fenômeno da Coréia é particular e muito se deve a determinação de independência daquele povo e a sua rígida disciplina no aprendizado.

  6. Comentário por Anthony Guilhermi de Oliveira Nº36 2ºS — 28 de maio de 2008 (12:27)

    São países em que os seus indicadores econômico e sociais não têm vindo a evoluir positivamente e de forma sustentada.
    As principais características de um país subdesenvolvido são : Produto Interno Bruto (PIB) baixo; Renda Per Capita baixa; Mortalidade Infantil alta; Expectativa de Vida baixa; Taxa de Escolaridade baixa; Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo.

  7. Comentário por Anthony Guilhermi de Oliveira — 28 de maio de 2008 (13:12)

    A atual divisão internacional do trabalho não ocorre entre países, mas entre agentes econômicos.Mão-de-obra abundante e barata,Incentivo fiscais e subsídios governamentais,Mercado interno em crescimento,Fontes de matéria-prima e energia estão disponíveis a baixo custo.Como ela não ocorre entre paises, ela não coincide com seus limites territoriais.

  8. Comentário por Anthony Guilhermi de Oliveira Nº36 2ºS — 28 de maio de 2008 (13:13)

    5) A atual divisão internacional do trabalho não ocorre entre países, mas entre agentes econômicos.Mão-de-obra abundante e barata,Incentivo fiscais e subsídios governamentais,Mercado interno em crescimento,Fontes de matéria-prima e energia estão disponíveis a baixo custo.Como ela não ocorre entre paises, ela não coincide com seus limites territoriais.

  9. Comentário por cida — 18 de fevereiro de 2013 (18:49)

    muiiiito bom gostei me ajudou muiiiito

Deixe um comentário

Feed RSS dos comentários deste post. URL de TrackBack

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://joseclaudiorech.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.